Santo Padre, Olinda e Recife estão como ovelhas sem pastor . 

Solidariedade !

I JORNADA TEOLÓGICA DO RECIFE

 

AGRADECIMENTOS


Apesar de todo o empenho do Grupo de Leigos Católicos Igreja Nova, a realização da I Jornada Teológica do Recife não teria sido possível, se não fosse o apoio que recebemos de uma porção de pessoas que foi se contagiando aos poucos, com o nosso entusiasmo e a nossa determinação.

E é por isso, que queremos deixar registrado aqui o nosso mais sincero agradecimento a todos aqueles que nos apoiaram, seja com palavras de incentivo, seja com o seu próprio trabalho.

Queremos expressar o nosso agradecimento para algumas empresas e algumas pessoas, em especial:

Nossa gratidão enfim, a todos que colaboraram conosco, de forma direta ou indireta, ligados ou não à religião, abrindo espaços ou preparando a divulgação, oferecendo seu trabalho, dando contribuições financeiras, participando de forma visível ou anônima. A eles e a todos os que compareceram à Jornada, dando viabilidade ao nosso trabalho, o nosso mais sincero agradecimento, por terem acreditado em nossa propostas e juntando-se a nós, permitirem que o que era apenas um sonho, se tornasse realidade.


UM SONHO, UM NASCIMENTO


A preparação durou praticamente o tempo de uma gestação. O embrião começou a ser formado em dezembro de 97. O teste de confirmação, se deu em janeiro de 98, quando o Grupo de Leigos Católicos Igreja Nova se reuniu em Gravatá, para dar forma à idéia.

Nesse meio tempo, os convites aos palestrantes e aos participantes dos eventos culturais foram sendo feitos, "a filha", enfim criando corpo, foi aumentando de tamanho, como em qualquer gravidez.  Mas esta foi uma gravidez diferente. Havia vários pais e mães, a adotar a mesma criança. Todos muito dedicados e, acima de tudo, apaixonados pelo rebento.

O tempo passava, a ansiedade aumentava, a data do nascimento se aproximava.

As reuniões sucediam-se, para escolher o local, para escolher o nome, para dividir as tarefas, as responsabilidades.

O que no começo pareceu apenas uma boa idéia, estava se transformando numa idéia concreta. E como qualquer pai e mãe zeloso, ficávamos imaginado como seria a sua cara, se seria perfeita, sem problemas congênitos ou momentâneos.

E tudo ia se encaixando, graciosamente, sem atropelos, sem dificuldades. Parecia que havia um sopro no ar, que contagiava a todos que se aproximavam dos preparativos.

E aí, finalmente, no dia 03 de agosto, de um parto normal, indolor, tranqüilo, ela nasceu, a nossa "criança", a nossa tão esperada "filha": a I Jornada Teológica do Recife.

Durante 05 dias, foi trazido para o auditório da FAFIRE um pouco da história recente da Igreja Católica, misturando-se Vaticano II, Medellim, os Clamores do Povo do Nordeste, Puebla e a Igreja no Terceiro Milênio. Passado, presente e futuro, nos foi mostrado de forma descontraída , disciplinada, voz forte, divertida e agradável, mas primordialmente comprometida com o Evangelho de Jesus Cristo. Eduardo Hoonaert, D. José Maria Pires, D. Francisco Austregésilo, Pe. José Comblin e frei Betto, apresentaram com maestria, os temas propostos, enriquecendo com suas explanações, o conhecimento de todos.

E o maior contraste no nascimento desta criança, é que ela nasceu exatamente para homenagear o seu avô mais querido: D. Helder Camara. A novidade se curvando à experiência.

E para completar a homenagem, houve a coreografia sobre a "Sinfonia do dois mundos", belíssima em sua graça e suavidade, apresentada pelo balé da academia Lúcia D'ângelo. Houve o Vocal da Missa Afro, o contraponto da Sinfonia, com sua belíssima coreografia  e suas vozes melodiosas e suaves, onde Grupo Vozes da Resistência fez uma apresentação marcante. Houve os violões de Nuca e Bozó, que nos embeveceram, derramando em suas cordas, músicas do cancioneiro popular brasileiro. O Pe. João Carlos, presenteou a todos com uma maravilhosa apresentação de sua banda, contagiando os presentes, que cantavam com ele, as suas canções. E para encerrar, Reinaldo de Oliveira fez uma magnífica apresentação, recitando alguns poemas de D. Helder, proporcionando um momento de pura emoção, sentimento e beleza.

Dança, música, poesia, história, profetismo, Evangelho, Vida. Vida de D. Helder, vida da Igreja; vida da Igreja, vida de D. Helder... haverá alguma diferença? Com toda certeza não.

"Parabéns pela ousadia, pela coragem, pela organização, pelo sucesso ... estava impecável, perfeito etc etc ..." foi o que mais ouvimos na noite do dia 7, quando "nossa

Criança" já caminhava com seus próprios passos, ganhando o mundo. Nossa missão, entretanto, não terminou ali. Cresceu ainda mais a nossa responsabilidade, como leigos que lutam por uma igreja renovada e que quer manter viva a chama da igreja de Jesus Cristo, que D. Helder sempre soube conduzir tão bem.

E é exatamente espelhados em nosso profeta, que não podemos simplesmente encerrar esta etapa em nossa caminhada.

Como bem o disse D. José Maria Pires, em sua palestra, "Estas não é apenas uma Jornada. É a primeira jornada". Sendo agosto, o mês dedicado às "Vocações", não podemos esquecer que a vocação do leigo, é levar a todos a Boa Nova do reino, divulgando com sabedoria, a Palavra de Deus, sem esquecer que para implantar o Reino de Deus, é necessário não deixar de lado a missão profética, que cada cristão tem, como herança de Jesus Cristo. E isso implica em não se calar diante da injustiça, do desmando, da exclusão, do abuso do poder, seja ele em qual instância for, seja civil, seja eclesial. Ser profeta hoje, é ser a voz dos que não podem falar, é ter a coragem de denunciar, mostrando a cara, tal qual um João Batista, um Pe. Henrique, um D. Paulo Evaristo Arns, um D. Helder.

É por isso que o Grupo de Leigos Católicos Igreja Nova não vai parar por aí. Esta jornada , com certeza não será filha única. Seus "pais" já estão gestando para ela, muitos outros "irmãos". Afinal, cabe a cada um de nós, fazer jus ao papel que lhe coube, a partir de Santo Domingo: o de ser o protagonista da evangelização.

REJANE MENEZES


TODO UN EXITO, JORNADA TEOLOGICA LAICA


SERVICIO DE NOTICIAS ALC

COSTA RICA/BRASIL

Todo un exito, jornada teologica laica

Por Guillermo Melendez

SAN JOSE, Ago 17 (alc). Como un verdadero suceso califico el historiador del cristianismo, Eduardo Hoornaert, una semana teologica enteramente preparada y realizada por laicos catolicos que acaba de concluir en la ciudad brasilena de Recife.

En declaraciones ofrecidas a ALC, Hoornaert preciso que lo novedoso del encuentro consiste en que al no contar el mismo en su preparacion y realizacion con un "brazo largo" o "mano oculta" de la jerarquÝa clerical, puede discurrir con libertad sobre problemas y temas normalmente prohibidos o cuando menos evitados en las conversaciones teologicas catolicas.

Entre estos problemas y temas, el autor de "La memoria del pueblo cristiano", y mas recientemente de "El movimiento de Jesus" y "Los cristianos de la tercera generacion", menciono el celibato sacerdotal, la democracia en la Iglesia catolico-romana, el silenciamiento de los laicos y el aprovechamiento de la mujer por la jerarquia.

Durante la actividad, anadio Hoornaert, se concluyo que el actual "vaciamiento" de la Iglesia catolica brasilena, (segun datos de la propia Conferencia Nacional de Obispos (CNBB) pierde medio millon de fieles al a~no), se debe sobre todo a la "revolucion silenciosa de las mujeres", quienes hartas del clima patriarcal reinante en ella, simplemente dejan de frecuentarla.

De acuerdo con el historiador, en la actualidad en la arquidiocesis de Olinda y Recife se vive "un clima de desmantelamiento" propiciado por Dom Jose Cardoso, el arzobispo que el Vaticano nombro con el fin de destruir lo que su antecesor, Don Helder Camara, habia construido en terminos de Iglesia popular.

Por ello, alabo el "coraje" del grupo de laicos que edita el periodico "Iglesia Nueva" que organizo, con poquisimos recursos, esa jornada teologica, a la que asistio como invitado de honor Don Helder de 89 a~nos de edad, ya que un objetivo fundamental de la misma fue rescatar su memoria y todo lo que ella significa en terminos eclesiales.

Los sacerdotes que simpatizan con esos laicos que sue~nan con una iglesianueva y luchan por concretarla, acoto, no se involucraron directamente en la actividad por miedo a sufrir la represion del arzobispo Cardoso, quien ya separo a muchos sacerdotes de la arquidiocesis.

Hoornaert, quien participo como conferencista en la jornada, indico que otrode los invitados fue el arzobispo negro emerito de Paraiba, Jose Maria Pires, de quien dijo continua apoyando grupos marginados en la Iglesia catolica como los de los negros, los sacerdotes casados y el movimiento de los campesinos sin tierra.

Otro obispo invitado fue Francisco Austregesilo, de una diocesis del interior de Pernambuco, quien recientemente alzo su voz contra la manera en que el gobierno brasileno trata la cuestion de la actual y terrible sequia en el Nordeste. Esta, segun Hoornaert, ha dejado a millones de personas alas puertas de la muerte. (fin/cat/vi/gm/530/98).

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Agencia Latinoamericana y Caribena de Comunicacion (ALC) - Latin American and Caribbean Communication Agency - Agencia Latino-Americana e Caribenha de Comunicacao

Apartado 14-225 Lima 14 Peru

Telfs. (51-1) 221 4073 / 221 1488

Fax (51-1) 221 2877 E-mail: alc+@amauta.rcp.net.pe

 

TRADUÇÃO

"Como um verdadeiro sucesso, qualificou o historiador do cristianismo, Eduardo Hoornaert, uma semana teológica inteiramente preparada por leigos católicos que acaba de acontecer na cidade brasileira de Recife.

Em declarações prestadas à ALC, Hoornaert ressaltou que a novidade do encontro consiste em que, ao não contar em sua preparação e realização e realização com 'um braço grande' ou com 'a mão oculta' da hierarquia clerical, pôde tratar com liberdade problemas e temas normalmente proibidos ou pelo menos evitados nos encontros teológicos católicos.

Entre esses problemas e temas, o autor de "A memória do povo cristão" e mais recentemente de "O movimento de Jesus" e "Os cristãos da 3ª geração" mencionou o celibato sacerdotal, a democracia na Igreja Católica romana, o silêncio do leigo e o aproveitamento da mulher pela hierarquia.

Durante a atividade, acrescentou Hoornaert, se concluiu que o atual esvaziamento da Igreja Católica brasileira ( segundo dados da própria CNBB, perde meio milhão de fiéis por ano) se deve sobretudo à revolução silenciosa das mulheres, que por causa do clima patriarcal reinante nela, simplesmente deixa de frequentá-la.

De acordo com o historiador, atualmente na arquidiocese de Olinda e Recife se vive "um clima de desmonte" comandado por D. José Cardoso, o arcebispo que o Vaticano nomeou com a finalidade de destruir o que o seu antecessor, D. Helder Camara havia construído em termos de igreja popular.

Por isso destacou a coragem do grupo de leigos que edita o periódico 'Igreja Nova' que organizou com pouquíssimos recursos essa jornada teológica, a que assistiu como convidado de honra D. Helder, de 89anos de idade, já que um objetivo da mesma foi resgatar sua memória e tudo o que ele representa em termos de igreja.

Os sacerdotes que simpatizam com esses leigos que sonham com uma igreja nova e lutam para concretizá-la, acrescentou, não se envolveram diretamente na atividade, com medo de sofrer a repressão do arcebispo Cardoso, que já expulsou muitos sacerdotes da arquidiocese.

Hoornaert que participou como conferencista na Jornada, disse que outro dos convidados foi o arcebispo emérito, negro, da Paraíba, D. José Maria Pires, que continua apoiando grupos marginalizados na Igreja Católica como o dos negros, os sacerdotes casados e o movimento dos camponeses sem terra.

Outro arcebispo convidado foi Francisco Austregésilo, de uma diocese do interior de Pernambuco, que recentemente levantou sua voz contra a maneira pela qual o governo trata da atual e terrível seca no Nordeste. Esta, segundo Hoornaert, tem deixado milhões de pessoas às portas da morte.


DOAÇÃO DE ALIMENTOS


Durante a realização da I Jornada Teológica do Recife, foi solicitada a doação expontânea de alimentos não perecíveis, para serem encaminhados aos nossos irmãos, vítimas da seca.

Os alimentos arrecadados foram encaminhados a Vanete Almeida, que faz um incansável trabalho com os trabalhadores rurais, no sertão de Pernambuco.

A distribuição foi feita na comunidade de Malhada Grande, a 10 quilômetros de Jatiúca, distrito de Santa Cruz da Barra Verde, que fica entre Serra Talhada e Triunfo.

A todos que contribuíram, os nossos agradecimentos em atenderem à nossa solicitação e a certeza da gratidão das famílias que receberam os alimentos.


ENTREVISTAS


DURANTE A JORNADA, ALGUNS PARTICIPANTES FORAM ENTREVISTADOS A CERCA DO QUE ESPERAVAM DO EVENTO, O QUE ESTAVAM ACHANDO ETC. NESTE ENCARTE, ESTÃO APENAS ALGUMAS DESTAS ENTREVISTAS. TODAS AS OUTRAS SERÃO PUBLICADAS NA ÍNTEGRA, BREVEMENTE.

Pe. EDWALDO GOMES

I.N. - Ao fim desse primeiro dia da JORNADA TEOLÓGICA, qual a sua expectativa para os demais?

Pe. Edwaldo - Tenho a impressão que será cada vez melhor. O avant premier, a primeira noite, foi um show! Espetacular! Parabéns!

I.N. - E de ser uma promoção do Grupo de Leigos IGREJA NOVA?

Pe. Edwaldo - Acho extraordinária! É um sinal dos tempos! Graças a Deus, depois de 13 anos, vocês dão a possibilidade da gente respirar aqueles ares que a gente respirava tão bem no passado.

 

Pe. JOÃO PUBBEN 

I.N. - O que o sr. ainda espera dessa JORNADA TEOLÓGICA?

Pe. João - Que ela continue da mesma beleza como foi a noite de hoje, tanto quanto a apresentação e a oferta dos valiosos pensamentos de Eduardo Hoornaert, como da participação dos que estiveram conosco.Parabéns pela promoção, e que não seja a última.

Ir. VISITATIO

I.N. - O que a Sra. está achando dessa JORNADA TEOLÓGICA?

Ir. Visitatio - Excelente! Cada noite a gente tem uma surpresa cada vez melhor. Acho que vocês foram realmente espetaculares. A gente está vendo o que uma pessoa me disse agora: "Quando a gente vê essa Igreja viva aqui reunida, a gente tem a sensação da Ressurreição." Quer dizer que a Igreja não morreu. Aquela Igreja de D. Helder, aquela Igreja que a gente viveu, está aqui.

I.N. - Que motivo lhe trouxe aqui?

Ir. Visitatio - O convite. Eu recebi pelo correio e por outras pessoas. Eu recebo também o jornal IGREJA NOVA.

I.N. - E o que acha da promoção dessa JORNADA?

Ir. Visitatio -Acho excelente. Gostaria que continuasse e não ficasse somente neste ano. A Igreja vai se renovando sempre e a gente vai ouvindo mais coisas, se encontrando. Principalmente se encontrando. Aqui eu encontro todos os meus amigos antigos.

FREI ALOÍSIO

I.N. - O que o Sr. está achando até agora da I JORNADA TEOLÓGICA DO RECIFE?

Frei Aloísio - Sob o ponto de vista emocional, do meu coração, estou achando que ultrapassou tudo aquilo que eu esperava, que eu pensava. Nesse sentido me faz muito feliz. Sob o ponto de vista do conteúdo, algumas coisas que foram ditas aqui são coisas que a gente esperava que fossem ditas há muito tempo por pessoas que têm autoridade moral, como o que D. José Maria Pires ontem expressou para gente. Foram coisas que a gente ansiava ouvir de alguém com autoridade moral de um bispo. Quanto a organização, para mim está perfeita. As pequenas falhas até ajudam a ser mais perfeito do ponto de vista humano.

I.N. -E da iniciativa do Grupo IGREJA NOVA?

Frei Aloísio - Estou achando que foi inspirada por Deus ou é de alguém inspirado por Deus, porque aqui se encontram pessoas que anseiam se encontrarem e não têm oportunidade. Pessoas que têm um pensamento comum sobre Igreja e que desejavam uma animação e essa animação começou agora. Por isso, o Grupo IGREJA NOVA assumiu uma responsabilidade muito grande, além de ampliar o seu nome, no sentido positivo da palavra, ele assume a responsabilidade diante dos católicos.


MENSAGENS


TRECHOS DAS MENSAGENS RECEBIDAS PELO IGREJA NOVA, DURANTE A JORNADA TEOLÓGICA, PARA HOMENAGEAR DOM HELDER.

- "Ao Pai que lhe deu a graça da vida, que lhe chamou e lhe confiou o Dom de profetizar na Igreja e no mundo, nós queremos louvar, agradecer e bendizer. D. Waldir Calheiros, bispo de Barra do Piraí- Volta Redonda - RJ."

- "Parafraseando São Paulo, podemos dizer que 'você tem ficado e continuado com todos nós, para proveito nosso e para alegria de nossa fé, a fim de que, por você - pela sua permanência entre nós - aumente a nossa glória em Cristo Jesus' ( Af Fl 1,25s). Você bem sabe que 'desde lhe está reservada a coroa da justiça, que lhe dará o Senhor, justo Juiz, naquele dia; e não somente a você, mas a todos os que, como você, tiverem esperado com a amor a sua Aparição'( cf 2 Tm 4,8). Obrigado, Dom Helder, pela sua paciência e disponibilidade nas mãos do Pai. - D. Paulo Ponte - Arcebispo de São Luiz do Maranhão."

- "Graças a Deus, vocês estão revivendo essa santa obsessão de Dom Helder. Que por todo o tempo que for possível, Deus mantenha conosco o nosso profeta e abençoe a vocês todos pela fidelidade à sua profecia. Fiquem firmes na luta da fé e da justiça. Contem comigo e com este mosteiro popular, santuário macro-ecumênico e casa de vocês todos e todas. Um abraço do irmão Marcelo Barros- Mosteiro da Anunciação do Senhor - Goiás."

- "É pelo Sermão da Montanha e na chama das bem-aventuranças que se forja a humanidade nova. O relacionamento se faz num amor novo, cuja medida está na própria gratuidade misericordiosa de Deus. Do Pai, a Quem meu querido Tio Dom Helder está permanentemente voltado, d'Ele haurindo a chama resplandecente, capaz de mudar todo o ritmo do mundo e abrir-lhe novo futuro. Pedindo-lhe. queira receber, venerando Tio, nossa gratidão e reconhecimento imorredouros, abraça-o afetuosamente seu em Cristo, Paulo Evaristo, CARDEAL ARNS Arcebispo Emérito de São Paulo".

- "Uno-me aos participantes da Jornada Teológica do Recife dedicada a Dom Helder Câmara. D. José Freire, Bispo de Mossoró - RN "

- "A nosso querido DOM se aplicam muito bem as palavras de BERTHOLD BRECHT:

"Há homens que lutam um dia e são bons!

Há outros que lutam um ano e são melhores!

Há outros que lutam muitos anos e são muito bons!

Mas há os que lutam toda a vida; esses são imprescindíveis!"

Saudações cordiais aos participantes da Jornada Teológica do Recife. Ao querido irmão, DOM HELDER CÂMARA, um grande abraço fraterno: 'AD MULTOS ANNOS', do menor de seus irmãos, Dom José Rodrigues de Souza, Bispo de Juazeiro - BA "

- "Impossibilitado de fazer-me presente a tão importante e significativo acontecimento, aproveito desta oportunidade, para parabenizá-los pela feliz idéia de promovendo a JORNADA TEOLÓGICA, prestar a justa e merecida homenagem a Dom Helder, que com o seu carisma soube comprometer-se com a Missão de Jesus, colocando-se principalmente a serviço dos pobres e excluídos da sociedade! Com votos de grande êxito, a certeza das minhas orações. Fraternalmente em Cristo, Dom Ricardo Pedro Paglia, M.S.C. Bispo Diocesano de Pinheiro -MA "

- "Agradeço convite e parabenizo pela bela homenagem ao caríssimo irmão Dom Helder. Dom Décio Pereira, Bispo da Diocese de Santo André - SP "

- "Querido patriarca da esperança, Abraão da nossa Igreja Latino-americana! Você nos ensinou a teimar, na fidelidade e na liberdade. Com a palavra profética e com o silêncio contemplativo. Seguro sempre do processo do Reino, que é maior que os nossos passos e nossas leis e nossos pecados pessoais e estruturais. Você deu esta vida de 90 anos e deu sua vida na morte de seus mártires. Pela Paz com Justiça, sem medo e sem violência. Por uma Igreja nova e nossa. No diálogo. Na misericórdia. Na utopia (garantia pela vitória pascal!). Continue a sorrir, a rezar, a sonhar. Sua descendência é numerosa como as estrelas do céu, patriarca muito querido. Abenção! Pedro Casaldáliga - Bispo da Prelazia de São Féliz do Araguaia".


ENCONTROS E REENCONTROS


Foi visível, e depois comprovado pelas entrevistas e questionários de avaliação, que a I JORNADA TEOLÓGICA DO RECIFE, se constituiu num grande momento de encontros e reencontros entre companheiros de caminhada, que há anos não se viam. Este objetivo, o GRUPO IGREJA NOVA não previu. Foi uma grata surpresa e que deve ser atribuída a Providência Divina, inspiradora das providências humanas. Sem dúvida, este é um agradecimento especial que devemos fazer ao sopro do Espírito de Deus. Quantas lembranças, quantos abraços, quantos sorrisos foram presenciados! Obrigado Senhor, pelas emoções que vimos refletidas em tantos rostos, pelas boas lembranças que pudemos proporcionar e pelas esperanças que nos inspirastes a despertar em tantos corações adormecidos!

BETE.


ANAIS DA I JORNADA TEOLÓGICA DO RECIFE


Já se encontra à venda, contendo: a transcrição das cinco palestras, os poemas de Dom Helder recitados durante o evento, as mensagens recebidas (na íntegra),biografia e pensamentos de Dom Helder, entrevistas, matérias e opiniões jornalísticas, algumas sugestões e fotos.

O livro custa R$ 8,00 ( oito reais) e poderá ser adiquirido através do telefone

(081) 325-2762 , com Beth. Maiores informações poderão ser obtidas através de nossos endereços e telfones de contato, constantes no expediente deste site.


II JORNADA TEOLÓGICA DO RECIFE


Dedicada a todos os que perseveram no caminho da libertação, a exemplo de Dom Helder.

PROMOÇÃO: GRUPO DE LEIGOS CATÓLICOS IGREJA NOVA 

Tema: "Uma Teologia que liberta – Resistência e Esperança"

Local: Auditório da FAFIRE – Av. Cde da Boa Vista, nº 921.

Data: 02 a 06 de agosto de 1999.

Horário: 19h às 22h.

PROGRAMA

DIA 02: Palestra: "Jesus Cristo Libertador" – LEONARDO BOFF

Evento cultural: Banda Sinfônica do Agreste – Meninos de São Caetano

DIA 03 - : Palestra: "Teologia do rosto negro"- DOM GILIO FELICIO

                 Evento cultural: "Fé e resistência – louvor negro do povo das três raças –                                          Missa Afro - Brasileira" - de Reginaldo Veloso

DIA 04: Palestra: "Trabalho e Libertação"- DOM WALDYR CALHEIROS

               Evento cultural: "Quinteto de Cordas do Recife"

DIA 05:  Palestra: "Culturas em Comunhão Libertadora" – Pe. MARCELO BARROS, OSB

               Evento cultural: "Grupo do Centro de Criatividade Musical do Recife"

DIA 06: Palestra: "Fé, Política e Libertação"- FREI BETTO

             Evento Cultural: "CIA de Dança Perna de Palco"

ENTRADA FRANCA

COLABORE COM OS NOSSOS IRMÃOS VÍTIMAS DA SECA, LEVANDO ALIMENTOS NÃO PERECÍVEIS.

ESTACIONAMENTO GRÁTIS – NA URB

ENTRADA PELA RUA OLIVEIRA LIMA OU AV. CDE DA BOA VISTA

INFORMAÇÕES: FONES: 325-2762/ 268-8846/241-6124/

FAX: 465-3816 – E-MAIL: igrenova@elogica.com.br

***********************************************************************************

8 ANOS, UMA HISTÓRIA


"Conheço tuas obras, não és frio nem quente! Mas porque és morno, nem frio nem quente, estou para vomitar-te da minha boca"( Ap 3,15-16)

O Grupo de Leigos Católicos Igreja Nova, surgiu em 1991, a partir da edição do jornal Igreja Nova, criado para dar voz e vez, àqueles que eram impedidos de se pronunciar através dos órgãos oficiais da igreja. Nascido do sonho de ser a "pedra" que clama, quando tentam calar os profetas, o Grupo, hoje é uma entidade jurídica, reconhecida pela CNBB-Regional Nordeste II, com sede própria, mantendo, além do jornal, um site na Internet, cursos de teologia para leigos e promovendo, anualmente em agosto, mês de seu aniversário, a Jornada Teológica do Recife

O jornal Igreja Nova nasceu na paróquia de N.Sa. da Boa Viagem, a partir da experiência de leigos que haviam vivenciado um modelo comunitário de igreja, inspirada no Concílio Vaticano II e que teve como referencial, figuras como Dom Hélder Câmara , e tantos outros.

A proposta de nosso jornal, é ser a memória viva deste modelo eclesial: livre independente, mas sempre em comunhão com todos aqueles que defendem a opção preferencial pelos pobres.

Até hoje vivemos pela Palavra. Não temos nenhum vínculo econômico nem institucional. Editamos e distribuímos gratuitamente, 3.500 exemplares mensais.

Nosso jornal pode ser encontrado em várias comunidades do Brasil, e em alguns lugares da Europa e América do Norte..

O jornal que nasceu para ser o porta-voz dos leigos da arquidiocese de Olinda e Recife, extrapolou os limites arquidiocesanos e hoje, publica artigos e notícias do Brasil e do exterior. Temos entre nossos colaboradores de artigos e entrevistas, cardeais, arcebispos, bispos, padres, religiosos e religiosas, teólogos, filósofos, animadores de comunidades, líderes de movimentos, leigos engajados em trabalhos comunitários e paroquiais, pessoas do mais alto gabarito, de reconhecimento local , regional, nacional e internacional, enfim uma representação da Igreja como Corpo de Cristo, vivo e atuando no mundo dos homens e das mulheres, onde se desenrola a vida.

A sua meta é levar uma mensagem de fé e de esperança, tentando ser um tijolinho, na construção do Reino de Deus.

Muitas pessoas nos perguntam "por que o nome IGREJA NOVA"? Há quem afirme que fundamos uma nova religião, porque para algumas pessoas, fica difícil entender que para ser novo, não é preciso deixar o velho para trás. É preciso, antes de tudo, renová-lo e caminhar com ele.

Em 1991, no bairro de Boa viagem havia apenas uma paróquia.

O nome IGREJA NOVA originou-se do fato de que havia duas matrizes: a antiga chamada de Igreja da Pracinha , que por ser pequena e antiga (1704) já não cabiam todos , e o novo templo, que era, à época, conhecido como Igreja Nova , este sim uma construção moderna e ampla, com espaço para abrigar a comunidade.

Havia também um jornal que era editado há mais de quinze anos, chamado "O Pracinha", veículo oficial da paróquia.

O nosso jornal, assumiu o nome do templo que nasceu para abrigar um número maior de fiéis.

o Jornal Igreja Nova nasceu para ser sinal de uma nova maneira de ser Igreja, onde todos possam partilhar dos deveres e dos direitos, livremente, como irmãos e não para ser uma nova igreja.

Reafirmamos nossa comunhão a esta Igreja e ao seu pastor maior visível, o papa João Paulo II.

 ***************************************************************

POEMAS PARA A ACOLHIDA

Nós queríamos que as pessoas fossem recebidas de uma maneira muito especial, por isso, depois de agradecermos ao Pai, a cada noite, lemos um poema de Dom Helder, de uma série que ele escreveu no livro "Quem não precisa de conversão? São eles: 

TERRA, IRMÃ TERRA!

 FOGO, IRMÃO FOGO!

 PÁSSAROS, IRMÃOS PÁSSAROS!

 ÁGUA, MINHA IRMÃ!

AR, IRMÃO AR! - INÍCIO

ÁRVORES, IRMÃS ÁRVORES! - FINAL

**********************************************************************************************

UM HOMEM E SEU SONHO

Um dia, um homem teve um sonho. Ele sonhou poder através da palavra escrita, dar vez e voz, aqueles que não encontravam espaço, nos veículos oficiais da Igreja, para expressar seus pensamentos. Um espaço onde a Boa Nova pudesse ser levada a todos os irmãos. Mas precisava ser de uma maneira livre, independente, sem algemas, sem tutela. E nasceu o Jornal Igreja Nova, com a proposta de ser o espaço, onde todos, leigos e clero, pudessem expressar-se com mais liberdade.

E ele continuou sonhando. Ele queria levar essa palavra escrita a tantas pessoas quanto fosse possível. E o Jornal que tinha nascido nos limites de uma paróquia, ganhou a estrada e se espalhou pelo Nordeste a fora, percorrendo outros lugares do Brasil e até do exterior.

Mas este homem, de imaginação acima da conta e de um otimismo sem igual, sonhou mais alto: queria ver o Igreja Nova ir mais longe ainda. Mas como fazer? E aí, veio a INTERNET, com suas infovias de alcance universal. E o Jornal, que era de papel, passou a ser também virtual, podendo ser lido em qualquer parte do planeta, onde exista um computador ligado a uma linha telefônica.

O grupo de leigos que fazia parte do jornal, passou a viver um "exílio" forçado de sua paróquia de origem, Boa Viagem . Neste "exílio", levou como agradável herança, o Curso de Teologia para Leigos, criado em 1989, pelo então pároco, Pe. Luiz Antônio. Mas como é próprio dos sonhadores nunca parar de sonhar, o sonhador sonhava em colocar o Curso de Teologia em uma sala própria, aberta a todos que quisessem aprender um pouco mais, sobre a construção do Reino de Deus. E mais um sonho se realizou: a tão almejada sala, tornou-se realidade.

Mas como ele não consegue parar de sonhar, mais um sonho apareceu: o de transformar em uma entidade jurídica, aquele grupo de batalhadores, que caminhava junto há tanto tempo, lutando por uma Igreja renovada. E mais esse passo foi dado.

Depois de sete anos de existência, o grupo que surgiu para dar voz e vez aqueles que não podiam se pronunciar através dos órgãos oficiais de sua paróquia e de sua arquidiocese, tornou-se oficial. Aquele grupo que começou a reunir-se em um lava-jato de carros, pertencente a uma família amiga e que mais tarde encontrou acolhimento em dois espaços para festas, cedidos por suas donas com carinho e boa-vontade, hoje tem nome oficial e endereço próprio. E nada disso seria possível, se não fosse a garra e a determinação deste sonhador.

E foi então que no final de 1997, ele sonhou o seu sonho mais ousado: a realização de uma semana teológica. Moveu meio mundo, contagiou outro tanto, arrastando em sua fé, um grupo de pessoas que passando a sonhar com ele, acreditou que o impossível, podia tornar-se realidade.

Com certeza, motivado pelas palavras de nosso querido Dom : "sonho que a gente sonha sozinho é só um sonho , mas sonho que a gente sonha junto é realidade", ele nunca quis para si, os louros de seus projetos e sempre repartiu com o grupo, todos os seus sonhos. E conseguiu realizar mas este, com a Graça de Deus, de Seu Filho e do Espírito Santo.

Todos os que fazem o Grupo de Leigos Católicos Igreja Nova, queremos neste livro da II Jornada Teológica do Recife, marco ímpar em nossa caminhada, prestar a nossa homenagem a este sonhador e agradecer a ele por sempre ter nos envolvido em seus sonhos, permitindo que eles também fossem nossos, esperando continuarmos juntos nesta caminhada, fiéis acima de tudo ao Evangelho de Jesus Cristo, aos nossos sonhos e ao nosso ideal.

A Assuero Gomes, o nosso Sonhador maior, a nossa homenagem, o nosso agradecimento e todo nosso carinho.

Dos seus amigos do GRUPO IGREJA NOVA

*************************************************************************** 

- O LIVRO DA II JORNADA, contendo as cinco palestras proferidas durante a Jornada (Prof. Leonardo Boff, Dom Gilio Felicio, Dom Waldyr Calheiros, Pe. Marcelo Barros e Frei Betto), as homenagens e poemas do Dom lidos ao longo do evento, além de mais de 30 fotos.

O livro da II Jornada custa R$ 10,00  e poderá ser adquiridos através de nosso E-mail igrenova@igrejanova.jor.br ou pelo telefone (81) 325-2762, Com Bete.


III JORNADA TEOLÓGICA DOM HELDER CAMARA


   

2000 ANOS DE CRISTIANISMO: CONTRADIÇÕES, TESTEMUNHO

E PROFETISMO, NA ESPERANÇA DA COMUNHÃO.

DEDICADA A TODOS OS MOVIMENTOS E SERVIÇOS CRIADOS

POR DOM HELDER OU INSPIRADOS EM SUA ATUAÇÃO PROFÉTICA .

PROGRAMA:

Dia 07 – Palestra: CONTRADIÇÕES NA CAMINHADA – Dom JACQUES GAILLOT

                 Apresentação : MARACATU INFANTIL NAÇÃO ERÊ

Dia 08 – Palestra: TESTEMUNHO NO CRISTIANISMO LATINO-AMERICANO – Pe. JOÃO BATISTA LIBÂNIO

                 Apresentação : RAVEL E RACINE - VOZ E VIOLÃO

Dia 09 – Palestra: CONSTRUINDO A COMUNHÃO – Pe. MARCELO BARROS

                 Apresentação: GRUPO BOCA DE FORNO

Dia 10 – Palestra: IGREJA, MULHER E ESPERANÇA – IVONE GEBARA

                Apresentação: MOVIMENTO DE MULHERES CONTRA O DESEMPREGO

Dia 11 – Palestra: O PROFETISMO E O PODER –FREI BETTO

                 Apresentação: CORAL CHESF.

****************************************************************************

III JORNADA TEOLÓGICA DOM HELDER CAMARA


"A 3ª Jornada Teológica Dom Helder Camara, realizada na Fafire de 2ª a ontem, foi mais um sucesso desse bravo grupo de cristãos Igreja Nova". Juracy Andrade, Jornal do Commercio , 12/08/2000.

De 07 a 11 de agosto, realizou-se a III Jornada Teológica Dom Helder Camara. Pela terceira vez, nos reunimos para um evento promovido por leigos, cuja espiritualidade encontra guarida nas propostas para a nova evangelização, feitas pelos bispos da América Latina e do Caribe, reunidos em Santo Domingo em 1992. São daquela Conferência do CELAM, a última no século XX, as seguintes afirmações e desafios:

97– As urgências do momento presente na América Latina, reclamam que todos os leigos sejam protagonistas da nova evangelização, da promoção humana e da cultura cristã. É necessário a constante promoção do laicato livre de todo o clericalismo e sem redução ao intra-eclesial.

98 – São linhas pastorais principais: incrementar a vivência da Igreja- comunhão que leve a co-responsabilidade na ação da Igreja. Fomentar a participação dos leigos nos conselhos pastorais nos diversos níveis da estrutura eclesial. Evitar que os leigos reduzam sua ação ao âmbito intra-eclesial, impulsionando-os a penetrar nos ambientes sócio-culturais e a serem eles os protagonistas da transformação da sociedade à luz do Evangelho e da doutrina social.

No exercício da vivência da "Unidade do Espírito com Diversidade de Ministérios e Carismas", como ensina Santo Domingo, a Jornada tem como objetivo contribuir para a preparação dos leigos que são chamados por Cristo como Igreja, a exercer no mundo, vinha de Deus, uma tarefa evangelizadora indispensável. Ainda de acordo com Santo Domingo, são os leigos que inseridos em Cristo pelo batismo, são chamados a viver o tríplice ofício sacerdotal, profético e régio, vocação esta que deve ser continuamente fomentada pelos pastores das igrejas particulares.

O título "Dom Helder" dado este ano a esta Jornada, é a homenagem maior, mas infinitamente pequena, àquele que pastor e profeta durante mais de 20 anos em nossa arquidiocese, sempre foi símbolo de firmeza permanente, exemplo de oração e plenitude espiritual, cimento da harmonia e do compromisso com que animava a ação da Igreja de Jesus Cristo em Olinda e Recife, na perspectiva da construção do Reino.

Como nos anos anteriores, a Jornada superou às expectativas, de nossa parte com a resposta cada vez maior de público e por parte do público, que, através das avaliações e da presença, nos faz crer que está valendo a pena. Principalmente quando, sob fortes chuvas e ameaça de tromba d’água, não deixaram de lotar o auditório da FAFIRE, para ouvir o Pe. João Batista Libânio, da mesma forma que todos os dias compareceram em massa para assistir a Dom Gaillot, Pe. Marcelo Barros, Ir. Ivone Gebara e Frei Betto.

Em artigo do dia 19/08/2000, no Jornal do Commercio, Juracy Andrade afirma que "As jornadas vão aos poucos assumindo o papel que era do ITER ( Instituto de Teologia do Recife), arbritariamente fechado pelos ‘sábios’ da Cúria Romana".

Ao amigo Juracy, os nossos agradecimentos por tão grande honra conferida, ao fazer esta afirmação, uma vez que nossa meta ao realizar a Jornada, é trazer novamente para o Recife o polo de discussões teológicas que já sediou outrora.

Nossos agradecimentos a todos que colaboraram para a sua realização e sobretudo, a todos que participaram, prestigiando nossa iniciativa.


LIVRO DA III JORNADA TEOLÓGICA


Foi lançado, durante a IV Jornada Teológica Dom Helder Camara, o livro dos anais da III Jornada.

O livro, contém o registro das cinco palestras, proferidas por Dom Jacques Gaillot, Pe. João Batista Libânio, Pe. Marcelo Barros, Ivone Gebara e Frei Betto, além de fotos dos cinco dias da Jornada, dados biográficos dos palestrantes e informações sobre os eventos culturais : Maracatu Nação Erê, Ravel e Racine, Grupo Boca de Forno, Movimento de Mulheres Contra o Desemprego e Coral CHESF.

O livro traz ainda dados sobre alguns dos

Movimentos e Serviços criados por Dom Helder ou inspirados por ele, o texto das homenagens feitas a Dom Lamartine e Dom Jeronimo Podestá e as cinco meditações de Dom Helder, ouvidas a cada noite.

O livro custa R$ 10,00 e poderá ser adquirido, entrando em contato com um dos telefones ou e-mail, constantes em nosso expediente. Vale a pena conferir.

*************************************************************************************

 IV JORNADA TEOLÓGICA DOM HELDER CAMARA


 Dedicada a todos os Mártires Sociais da América Latina, que, a exemplo de Dom Helder,

sofreram por causa da luta da justiça e por uma vida mais digna para seus irmãos.

Promoção – Grupo de Leigos Católicos IGREJA NOVA

Tema: "TEOLOGIA PARA UM NOVO TEMPO: CONSTRUINDO UM MUNDO NOVO"

Local: Teatro do Parque – Rua do Hospício, nº 81 - Boa Vista

Data: de 30 de Julho a 03 de Agosto de 2001.

Horário: 19h às 22h.

PROGRAMA

Dia 30 – Palestra: "O CRISTIANISMO LIBERTADOR NA CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA CIVILIZAÇÃO" Teológo Giulio Girardi, Itália

Evento Cultural - Um Convidado Especial

Dia 31 – Palestra: "A FACE DO CRISTO OPRIMIDO" - Dom Mauro Morelli, RJ

Evento Cultural: Arricirco, a Alegria do Circo

Dia 01 – Palestra: "SOMOS TODOS IRMÃOS" - Rabino Henry Sobel, SP

Evento Cultural: Grupo de Danças Shalom

Dia 02 – Palestra: "OS HERDEIROS DOS BENS DA TERRA" - Dom Tomás Balduíno, GO

Evento Cultural: Nenéu Liberalquino Trio

Dia 03 – Palestra: "UM NOVO MUNDO É POSSÍVEL?" - Frei Betto, SP

Evento Cultural: Jeová da Gaita e Nilton Rangel

ENTRADA FRANCA


JORNADA TEOLÓGICA:UM SONHO, UMA REALIDADE 


REJANE MENEZES

Um ano de preparação, que começa pelo contato com os palestrantes que às vezes, são feitos até três anos antes. Driblar agendas cheias, a especialidade. Pelo menos, seis meses para garantir auditório, escolher tema, dedicatória e finalmente, executá-la.

Mal o quinto dia termina, já se marca a avaliação, acerta-se transcrição das palestras, trocam-se idéias sobre o novo livro.

Assim têm sido as Jornadas Teológicas, um sonho que o Grupo de Leigos Católicos Igreja Nova ousou viabilizar e que já se tornou parte do calendário religioso de Olinda e Recife.

Realizada durante três anos no auditório da FAFIRE, teve que mudar de endereço por causa do espaço. Os quase 500 lugares já não davam mais conta do público, que crescia a cada ano.

Com o Teatro do Parque cheio todas as noites e completamente lotado na abertura e no encerramento, sente-se que o objetivo principal da jornada está sendo atingido: o de preservar e manter sempre viva a memória de Dom Helder.

Uma exposição com 80 fotos e dados biográficos, dedicada aos mártires sociais da América Latina, no hall de entrada do teatro, despertou curiosidade e sobretudo admiração dos participantes da Jornada, por aqueles que deram a vida, lutando pela justiça e por uma vida mais digna para os seus irmãos. Uma lista com mais de 500 mártires, em sua grande maioria ligados à Igreja, mostrava que a luta pela libertação pode ser difícil e até fatal, mas jamais inglória.

"Teologia para um novo mundo: construindo um novo tempo", foi o tema escolhido, exposto e debatido a cada noite, quando Giulio Girardi falou sobre como construir uma nova civilização a partir do cristianismo libertador e Dom Mauro Morelli sobre o Cristo oprimido no dia a dia. O rabino Henry Sobel falou sobre sermos todos irmãos e Dom Tomás Balduíno sobre quem são os herdeiros dos bens da terra, em uma noite em que representantes da CPT trouxeram os frutos da terra conquistada para mostrar, e o MST, a sua luta por um pedaço de terra.

Dom Helder apreciava a música, a dança, o folclore, o teatro. Por isso, em um evento em sua homenagem, não poderiam faltar apresentações culturais.

Um texto de Frei Aloísio Fragoso, interpretado pelo ator Carlos Varella, abriu a Jornada, "trazendo" Dom Helder do céu, para uma visita à terra. Os meninos do Arricirco, a alegria do circo, animaram a noite de terça-feira e inspiraram D. Mauro a mudar um pouco o roteiro de sua palestra. O Grupo de Dança Shalom apresentou-se na quarta-feira, com uma dança típica, e na quinta, foi a vez do Nenéu Liberalquino Trio, que encheu o teatro com o maravilhoso som de seus violões.

Tudo vinha seguindo fielmente o programa, sem grandes contratempos. Mas, para a noite de sexta-feira, dois fatos inesperados surgiram: Primeiro, soubemos que o violonista Nilson Rangel não poderia mais se apresentar ao lado de Jeová da Gaita. Para surpresa de todos, quando a cortina se abriu, ao lado de Jeová, estava Nenéu Liberalquino, que voltou ao teatro para acompanhar o amigo, brindando os presentes com um belíssimo encontro de gaita e violão, sendo aplaudidos de pé.

Um acidente com D. Stella, mãe de Frei Betto, ocorrido na noite da quinta-feira, o impediu de vir a Recife, fato que foi avisado ainda durante a Jornada e divulgado através dos meios de comunicação.

O público, que superlotou o teatro na sexta-feira, mostrou que confiava na alternativa encontrada para solução do problema e com toda certeza não saiu decepcionado. Para discutir se um novo mundo é possível, formou-se um painel, onde cada um dos participantes falou sobre como fazer frente ao neoliberalismo. Giulio Girardi falou sobre as alternativas dos povos indígenas, Frei Aloísio Fragoso, sobre a posição do cristão e Dom Tomás Balduíno, sobre a Igreja institucional. O animado debate que se seguiu, encerrou, pode-se dizer, com "chave de ouro", a IV Jornada Teológica Dom Helder Camara. Agora é esperar a próxima.


NOSSOS AGRADECIMENTOS


O Grupo de Leigos Católicos Igreja Nova, após a realização da IV Jornada Teológica Dom Helder Camara, gostaria de fazer um agradecimento especial aos Palestrantes, a todos os artistas que se apresentaram, ao Café São Bráz, aos Veículos de Comunicação, aos Jornalistas, à Escola de Artes e Ofícios Dom Bosco, ao Vereador Josenildo Sinésio, à Agenda Latino Americana, a Marieta Borges, a Wilosn Firmo, às Ordens Religiosas: Sagrado Coração, Salesianos, Franciscanos, Jesuítas, à Prefeitura do Recife, à P&R Produções, ao Locutor Adelmo Cunha, a Agência Avesso Mercado , ao Fotógrafo Robério Rodrigues, à Agência de Turismo VOLOTOUR, ao Movimento de Cursilhos, à Comunidade Judaica, a Obras de Frei Francisco e aos Companheiros e Companheiras de Caminhada, aos Colaboradores anônimos e a todos que de forma direta ou indireta, contribuíram para a realização da IV Jornada, acreditando em nossa proposta, apoiando e divulgando o nosso trabalho. A todos o nosso muito obrigado pela força e pela parceria.


Mais um Passo na Caminhada


O auditório está vazio, as cadeiras de um vermelho muito vivo, se misturam às luzes, à cortina, ao palco, fazendo coro ao silêncio. Por dentro de cada um, um friozinho ainda percorre a espinha, na expectativa de todos os anos: as pessoas atenderão ao nosso convite e virão nos honrar com a sua participação?

A ansiedade vai dando lugar a alegria, ao ver que, pouco a pouco, as pessoas vão chegando, se "achegando", se envolvendo, se misturando aos livros, observando a homenagem à experiência e à sabedoria, no painel e no bazar, que a cada noite, trazia um instituição diferente da terceira idade, que expunha e vendia os seus trabalhos.

E as pessoas vão chegando cada vez mais, o auditório vai ganhando cor e vida, alegria e sons. Sons das risadas dos que se reencontram, das conversas colocadas em dia, dos acordes do ensaio por detrás da cortina, dos comentários, das perguntas, da expectativa, agora de quem chega, do que os aguarda este ano.

Os pequenos guardiões defendem a sobrevivência do Capibaribe, o grande guardião defende a sobrevivência da raça humana e do planeta terra. Mil e trezentas pessoas aplaudem os pequenos e o grande mestre. Lá fora, 32 bravos são homenageados por sua luta e realizações em favor dos irmãos.

O coral dos pequenos defensores da paz, abre a segunda noite, com a alegria própria das crianças e o espanto de estar, pela primeira vez, cantando em um palco de teatro e ainda por cima, para um público tão grande. E a inclusão social é defendida com garra, por aquele que está plenamente engajado na luta pela fome zero.

Na terceira noite somos convidados de uma grande festa: a comemoração dos 35 anos do movimento que promove as crianças e os adolescentes. Somos levados à infância, através da apresentação de brincadeiras, por crianças alegres e descontraídas, para em seguida sermos dominados pela emoção, ao ver crianças e adolescentes especiais darem um verdadeiro show de música, na apresentação de sua banda. Era como se fosse a prática, do que ouviríamos em seguida, por aquele pelo qual esperamos por cinco anos: que a Palavra inspira a libertação e a transformação.

Na noite dedicada às mulheres, uma surpresa: o coral que nos mostrou como é possível, na terceira idade, se encontrar a fonte da vida, nos encantando com sua música e com a força de seus participantes. Força que continuou através das palavras daquela que nos falou sobre os desafios que as mulheres enfrentam para chegarem a uma ética, inspirada pelo cristianismo.

E na última noite, a esperança cantada por um coral harmonioso e belo, que encheu de suavidade e beleza o Teatro do Parque, abrindo caminho para que três representantes da igreja libertadora de Jesus Cristo nos mostrassem que os clamores do povo continuam a ser ouvidos e que todos acreditam que serão atendidos.

E, com um Pai Nosso rezado de mãos dadas, por mais de mil pessoas, encerrou-se a VI Jornada Teológica Dom Helder Camara, esperando que, ao seu final, a ética e a espiritualidade sejam, para cada um de nós a verdadeira esperança da transformação.